Skip to content

Mota-Engil ATIV participa no CongrEGA – 1º Congresso Nacional de Engenharia e Gestão de Ativos

O Instituto Superior de Engenharia de Coimbra (ISEC) promoveu e recebeu a primeira edição do CongrEGA – Congresso Nacional de Engenharia e Gestão de Ativos, destinado a partilhar conhecimento desenvolvido com grupos industriais, de forma a diminuir impactos ambientais e, através da reutilização, aumentar a competitividade dos produtos no mercado.

O CongrEGA 2022 pretende contribuir para consolidar e sistematizar o corpo de conhecimento técnico e científico na Área da Engenharia e Gestão de Ativos com uma abordagem transversal a todos os sectores de atividade, visando aproximar as empresas, universidades e os centros de investigação, através da transferência de conhecimentos.

Nesse sentido, a Mota-Engil ATIV foi uma das entidades convidadas a apresentar um caso de estudo e esteve representada por Susana Moreda da Direção de Gestão da Manutenção que abordou as temáticas “Gestão do ciclo de vida dos ativos e a redução das emissões de carbono” e “Obrigações legais na Gestão da Manutenção de Edifícios”.

Susana Moreda Diretora de Gestão da Manutenção da Mota-Engil ATIV

No atual contexto as organizações têm vindo a assumir a sustentabilidade como um compromisso prioritário no que diz respeito à geração de valor dos ativos físicos, e considerando ainda as metas de neutralidade carbónica até 2050, coloca uma maior pressão à eficiente gestão do ciclo de vida dos ativos.

Tendo como base um caso de estudo, que se centrou na análise do ciclo de vida dos principais sistemas técnicos e equipamentos de um grande edifício de espetáculos com 16 anos de vida (554 ativos avaliados por equipa de técnicos especializados), o objetivo foi avaliar o impacto das opções de gestão do ciclo de vida dos ativos no perfil de emissões de carbono e da sua contribuição para uma operação mais sustentável.

Foi selecionado um sistema de climatização instalado num centro de espetáculos emblemático, crítico ao bom funcionamento do edifício e ao conforto dos seus utilizadores, tendo sido isolado o impacto das opções de gestão do seu ciclo de vida na redução das emissões de carbono.

Após análise dos resultados obtidos com a simulação, verificou-se que a solução proposta se traduziu numa poupança anual bastante expressiva para a instalação, refletindo-se ainda, de forma significativa, na redução da respetiva pegada de carbono (28%).

O estudo foi desenvolvido por Ana Catarina Gonçalves da Direção de Coordenação de Energia, Susana Moreda da Direção de Gestão da Manutenção e Tiago Fernandes da Direção de Divisão de Serviços Especializados.

Quanto à temática “Obrigações legais na Gestão da Manutenção de Edifícios” e no que diz respeito à necessidade permanente de dar cumprimento a rotinas/tarefas, verificações, inspeções e ensaios, que constituem um conjunto de “obrigações legais”, o cumprimento dessas obrigações, deve ser integrado na gestão do ativo, nomeadamente através dos SW de manutenção, evitando assim o incumprimento das obrigações legais e consequentes coimas.

Essas obrigações, traduzem-se em diplomas legais (Guia Técnicos, Despachos, Portarias, Leis, Decretos Regulamentares, Decretos-Lei e Regulamentos da UE, com aplicação direta na legislação nacional), todos de aplicação obrigatória.

No exercício da sua atividade, a Mota-Engil ATIV através das diversas direções, em constante coordenação analisam a legislação de forma a garantir todos estas obrigações legais, com impacto na atividade de gestão de ativos.